Loading

maria jorgete teixeira

Escrevo para

Escrevo para…


Escrevo para não sucumbir ao medo.

Escrevo para exorcizar o frio.

Escrevo porque preciso do abraço do vosso olhar clemente.

Escrevo quando a vontade é mais urgente que a chuva a bater nos rins do tempo. Escrevo porque tenho fome de devorar as palavras e nelas me entrego como se as matasse.

Escrevo porque tenho sede e a água pura me é negada.

Escrevo pelos nus, pelo pudor e pelo pão.

Escrevo porque me foram dadas mãos que suam de inquietude.

Escrevo a curva do ombro que carrega o pranto.

O mel dos figos, a ternura das manhãs e a inocência dos pássaros.

Escrevo para cravar de sonhos o diamante cego das horas.

Escrevo para adiar a morte.